(Im)possibilidades da prática político-pedagógica desenvolvida no seio do associativismo contemporâneo

Autores

  • Valci Melo Universidade Federal de Alagoas

Palavras-chave:

Associativismo civil. Lutas sociais. Projeto Societário. Marxismo. Emancipação humana.

Resumo

O presente estudo lança-se ao desafio de identificar, à luz do materialismo histórico-dialético, os limites e as possibilidades de contribuição do processo educativo desenvolvido no interior do associativismo contemporâneo para a construção de uma sociedade superior à capitalista. Para tal, realizou-se um estudo de caso numa associação civil inserida no contexto do semiárido alagoano a partir da utilização de técnicas e instrumentos como entrevistas, questionários, observação e análise documental. Deste modo, constatou-se que suas práticas político-pedagógicas, limitadas pelo escasso e burocrático financiamento e pelas precárias condições de formação e trabalho dos educadores, estão comprometidas mais com o aperfeiçoamento "“ e, portanto, com a manutenção - da ordem vigente do que com a transformação radical desta forma de sociabilidade. Por fim, conclui-se que, apesar desses limites, considerando-se o pressuposto de que este processo não se dá de modo linear, mas de forma dialética, isto é, a partir de avanços e recuos que ora representam ganhos da burguesia, ora conquistas da classe trabalhadora, identificam-se condições, mesmo que incipientes, para que a prática político-pedagógica desenvolvida no seio do associativismo contemporâneo assuma um caráter revolucionário de superação da forma de sociabilidade capitalista.

Biografia do Autor

Valci Melo, Universidade Federal de Alagoas

Licenciado em Pedagogia pela Universidade Estadual de Alagoas "“ UNEAL (2011), estudante (especialização) do Curso de Formação Política para Cristãos Leigos/as pelo Centro Nacional de Fé e Política Dom Helder Câmara (CEFEP) e a Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio), licenciando em Ciências Sociais e mestrando em Educação pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL), escritor, poeta e professor da rede pública municipal de São José da Tapera, semiárido alagoano.

Referências

ANDRADE, F. L. de. Pesquisa participante como um processo pedagógico na educação popular. In: ESCOLA DE FORMAÇÃO QUILOMBO DOS PALMARES. Movimentos sociais e educação popular no nordeste. Recife: EQUIP, 2004, p. 9-25 (Série Educação Popular; 2).

BRITO, P. A. B. de. A formação de educadores e educadoras populares. In: ESCOLA DE FORMAÇÃO QUILOMBO DOS PALMARES. Movimentos Sociais e Educação Popular no Nordeste. Recife: EQUIP, 2003 (Série Educação Popular; v.1).

CARLOS, E.; SILVA, M. Z. e. Associativismo, participação e políticas públicas. Política & Sociedade. Revista de Sociologia Política, Florianópolis, 2006, v.5, nº 9, p. 163-194. Disponível em<http://www.estudospoliticos.pro.br/pdf/artigo_associativismo_participacao.pdf>. Acesso em: 18 jan. 2011.

CENTRO DE APOIO COMUNITÁRIO DE TAPERA EM UNIÃO A SENADOR. Projeto político-pedagógico. Senador Rui Palmeira: CACTUS, 2010 (digitado).

_________. Estatuto social. Senador Rui Palmeira "“ AL: CACTUS, 2010 (digitado).

_________. Plano de ação ano fiscal 2011. Senador Rui Palmeira "“ AL: CACTUS, 2010 (digitado).

COUTINHO, C. N. A democracia como valor universal e outros escritos. 2. ed. ampliada. - Rio de Janeiro: Salamandra, 1984.

DEMO, P. Pobreza da pobreza. Petrópolis, RJ: Vozes, 2003.

DURIGUETTO, M . et. al. Sociedade civil e movimentos sociais: debate teórico e ação prático-política. Revista Katálysis, Florianópolis, jan.- jun. 2009, vol.12, nº.1, p. 13-21. Disponível em<http://www.scielo.br/pdf/rk/v12n1/03.pdf >. Acesso em: 01 jul. 2010.

FREIRE, P. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. São Paulo: Paz e Terra, 1996 (Coleção Leitura).

_________. Pedagogia do oprimido. 17. ed. - Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1987.

GIANNOTTI, V. História das lutas dos trabalhadores no Brasil. 3. ed. rev. e ampliada. - Rio de Janeiro: Mauad X, 2009.

GOHN, M. da G. Educação não-formal e cultura política: impactos sobre o associativismo do terceiro setor. 4º. ed. "“ São Paulo: Cortez, 2008 (Coleção Questões de Nossa Época).

_________. Movimentos sociais e educação. 6. ed. revista "“ São Paulo: Cortez, 2005 (Coleção Questões de Nossa Época).

HOROCHOVSKI, R. R. Associativismo civil e Estado: um estudo sobre organizações não governamentais (ONGs) e sua dependência de recursos públicos. Em Tese. Revista Eletrônica dos Pós-Graduandos em Sociologia Política da UFSC, ago."“ dez. 2003, vol. 1, nº 1, p. 109-127. Disponível em:<http://www.emtese.ufsc.br/f_Rodrigo.pdf>. Acesso em: 25 dez. 2010.

IASI, M. L. Ensaios sobre consciência e emancipação. 2. ed. São Paulo: Expressão Popular, 2011

LESSA, S. Ética, política e serviço social. Revista Katálysis, Florianópolis, 2005, v.8, nº.2, pp. 256-266. Disponível em: <http://sergiolessa.com/artigos_02_07/etica_politica_ssocial_2005.pdf>. Acesso em: 03 nov. 2010.

LESSA, S. Marxismo e ética. Revista Crítica Marxista, nº 14, São Paulo, 2002. Disponível em: <http://www.ifch.unicamp.br/criticamarxista/arquivos_biblioteca/debate33104_merged.pdf>. Acesso em: 27 mar. 2011.

LIBANEO, José C. Pedagogia e pedagogos, para quê? 9. ed. São Paulo: Cortez, 2007.

MARX, K. Glosas críticas marginais ao artigo "O rei da Prússia e a reforma social": de um prussiano. São Paulo: Expressão Popular, 2010 (tradução: Ivo Tonet).

_________. Manuscritos econômico-filosóficos. São Paulo: Martin Claret, 2003 (Tradução de Alex Marins).

_________.; ENGELS, F. Manifesto do Partido Comunista. 2. ed. São Paulo: Martin Claret, 2008.

MONTAÑO, C.; DURIGUETTO, M. L. Estado, classe e movimento social. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

PAULO NETTO, J. Introdução ao método da teoria social. Capacitação em Serviço Social. CEAD/UNB, 2009.

PIRES, M. F. de C. O materialismo histórico-dialético e a educação. Comunicação, Saúde, Educação, v.1, n.1, 1997. Disponível em: <http://www.olhoscriticos.com.br/site1/arquivos-online/texto-materialismo-historico-dialetico.pdf>. Acesso em: 25 maio de 2011.

SEVERINO, A. J. Metodologia do trabalho científico. 23. ed. rev e atualizada "“ São Paulo: Cortez, 2007.

SCHERER-WARREN, I.; LÃœCHMANN, L. H. H. Situando o debate sobre movimentos sociais e sociedade civil no Brasil: introdução. Política & Sociedade, Florianópolis, n. 5, out. 2004. Disponível em:<http://www.periodicos.ufsc.br/index.php/politica/article/view/1976/1725>. Acesso em: 12 ago. 2011.

SILVA, C. S. M. da. Os movimentos continuam vivos. In: ESCOLA DE FORMAÇÃO QUILOMBO DOS PALMARES (EQUIP). Movimentos sociais e educação popular no nordeste. Recife: EQUIP, 2004, p. 41-55 (Série Educação Popular; 2).

SOARES DO BEM, A. A centralidade dos movimentos sociais na articulação entre o Estado e a sociedade brasileira nos séculos XIX e XX. Revista Educação & Sociedade, Campinas, set./dez. 2006, vol. 27, nº 97, p. 1137-1157. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v27n97/a04v2797.pdf >. Acesso em: 21 maio 2010.

TONET, I. Educação contra o capital. Maceió, Edufal, 2007.

_________. Educação, cidadania e emancipação humana. Ijuí: Unijuí, 2005.

Downloads

Publicado

2014-05-01

Edição

Seção

Artigos