As perspectivas e o ingresso dos alunos de ensino médio de escola pública no Ensino Superior

Maria Eduarda Freitas Silva

Resumo


Resumo

Esse trabalho pretende discutir a forma como os alunos de uma escola pública de ensino médio no interior do Estado do Ceará têm pensado e vislumbrado as possibilidades de ingresso no ensino superior público, analisando as trajetórias dos alunos que estão cursando o 3º ano, período final dessa etapa de ensino, com a finalidade de compreender como tem sido a preparação, o incentivo e as prerrogativas que fazem com que estes alunos entendam o ensino superior como uma possibilidade de futuro. Ainda, analisamos as trajetórias dos alunos egressos que estão nas instituições públicas de ensino superior (Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-brasileira (Unilab) e o Instituto Federal do Ceará (IFCE)). O processo metodológico da pesquisa consiste em uma abordagem qualitativa. O principal instrumento adotado é a entrevista narrativa (EM) com estudantes concludentes e egressos da escola Almir Pinto. A análise dos dados coletados durante a pesquisa foi feita a luz das teorias sobre trajetórias juvenis no ensino médio de autores como Juarez Dayrell (2007), sucesso escolar tratada por Bernard Lahire (1997), e as teorias que envolvem o contexto educacional das classes populares, discutidas por Pierre Bourdieu (1975) e Paulo Freire (2013). 

Palavras-Chave:Ensino médio. Escola pública. Ensino superior.

 

Abstract

This work aims to discuss the way students from a public high school in the interior of the state have thought and envisioned the possibilities of entering public higher education, analyzing the trajectories of students who are in the 3rd year, the final period of this stage of education. teaching, to understand the preparation, encouragement, and prerogatives that make these students understand higher education as a possibility of the future. Also, we analyze the trajectories of the graduating students who are in public institutions of higher education (Universidade Federal do Ceará (UFC), Universidade da Integração internacional da Lusofonia Afro-brasileira (Unilab) and the Instituto Federal do Ceará (IFCE)). The methodological process of the research consists of a qualitative approach. The main instrument adopted is the narrative interview (MS) with graduating students and graduates from Almir Pinto school. The analysis of the data collected during the research was made in light of theories about youth trajectories in high school by authors such as Juarez Dayrell (2007), school success addressed by Bernard Lahire (1997), and theories that involve the educational context of the popular classes. , discussed by Pierre Bourdieu (1975) and Paulo Freire (2013).

Keywords: High School. Public school. Higher education.


Palavras-chave


Ensino médio. Escola pública. Ensino superior.

Texto completo:

PDF

Referências


ALVES, Maria Alda de Sousa. Juventudes e ensino médio: transições, trajetórias e projetos de futuro. Curitiba: Crv, 2017. 210 p.

BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean Claude. A dependência pela independência. In: BOURDIEU, Pierre; PASSERON, Jean Claude. A Reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. Rio de Janeiro: Livraria Francisco Alves Editora S.a, 1975. Cap. 4. p. 187-226.

BOURDIEU, Pierre. A juventude é apenas uma palavra. In: Questões de sociologia. Rio de Janeiro: Marco Zero, 1983, p. 112-121.

BORI, Carolina M.; DURHAM, Eurenice R. (Sup. Geral). Equidade e heterogeneidade no ensino superior brasileiro. Brasilia: Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais, 2000. Disponível em: http://www.publicacoes.enep.gov.br/resultados.asp?subcat=24 . Acesso em: 10. Jungo. 2019.

BRASIL. Decreto nº 6.096, de 24 de abril de 2007. Programa de Apoio a Planos de Reestruturação e Expansão das Universidades Federais - REUNI. Brasília, DF, Disponível em: . Acesso em: 09 maio 2017.

BRASIL. Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Brasília, DF, Disponível em: . Acesso em: 06 jun. 2017.

BRASIL. Lei nº 10.260, de 12 de julho de 2001. Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior (Fies). Brasília, DF, Disponível em: . Acesso em: 23 maio 2017.

BRASIL. Lei nº 11.096, de 13 de janeiro de 2005. Programa Universidade Para Todos - ProUni. Brasília, DF, Disponível em: . Acesso em: 23 maio 2017.

BRASIL. Portaria Normativa nº 2, de 26 de janeiro de 2010. Sistema de Seleção Unificada - SiSU . 18. ed. Brasília, DF, Disponível em: . Acesso em: 23 maio 2017.

DAYRELL, Juarez. A escola "faz" juventudes?: Reflexões em torno da socialização juvenil. Educ. Soc., Campinas, v. 28, n. 100, p.1105-1128, out. 2007. Disponível em: . Acesso em: 01 jul. 2019.

ESCOLA DE ENSINO MÉDIO ALMIR PINTO. Projeto Político Pedagógico. Ocara, 2017. 83 p.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: saberes necessários à prática educativa. 48. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014. 143 p.

JOVCHELOVTCH, Sandra; BAUER, Martin W.. Entrevista Narrativa. In: BAUER, Martin W.; GASKELL, George. Pesquisa qualitativa com texto, imagem e som. 2. ed. Petrópolis: Editora Vozes, 2012. Cap. 4. p. 90-113. Disponível em: . Acesso em: 03 jul. 2019.

LAHIRE, Bernard. Sucesso escolar nos meios populares: as razoes do improvável. São Paulo: Ática, 1997. 367 p.

PAIS, José Machado. A condição sociológica da juventude: alguns contributos. Análise Social, [s.l], v. 25, n. 1, p.139-165, 1990. Disponível em: . Acesso em: 08 jul. 2019.

PRODANOVE, Cleber Cristiano; FREITAS, Ernani Cesar de. Metodologia do Trabalho Científico: Métodos e Técnicas da Pesquisa e do Trabalho Acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo, Rs: Feevale, 2013. 276 p.

KRAWCZYK, Nora. Reflexão sobre alguns desafios do Ensino Médio no Brasil Hoje. Cadernos de Pesquisa Fundação Carlos Chagas ( Impresso), v. 41, p. 754-771, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Café com Sociologia é uma publicação semestral, voltada para o debate sobre temas relevantes das Ciências Sociais (Sociologia, Antropologia e Ciência Política) e da docência dessas ciências.

ISSN: 2317-0352

INDEXADORES:

Google Acadêmico

Academia.edu

ANPOCS

DIADORIM

REDIB

Latindex

 

Na avaliação QUALIS para o quadriênio 2013-2016 a Revista Café com Sociologia foi assim avaliada:

LETRAS / LINGUÍSTICA =B2

ENSINO = B3

SERVIÇO SOCIAL =B3

INTERDISCIPLINAR = B4

PSICOLOGIA = B4

SOCIOLOGIA = B5

HISTÓRIA = B5

ANTROPOLOGIA/ARQUEOLOGIA = B5

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO = B5

HISTÓRIA = B5




POLÍTICA DE AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS

Os artigos recebidos passam por quatro etapas:

1ª Etapa:uma primeira avaliação realizada por integrantes do conselho editorial. Nesse momento são observados: i) se não há no texto indicação de autoria, a fim de garantir um processo de avaliação às cegas; ii) se o texto enquadra-se no foco da revista; iii) se o texto apresenta clareza quanto ao problema de pesquisa, o objeto, o método e os resultados alcançados e; iv) se atende as diretrizes de formatação do texto (ver diretrizes para autores). Os textos que não atenderem a um desses aspectos será arquivado e não enviado aos pareceristas, que é etapa seguinte. 

2ª Etapa: os textos são enviados a dois pareceristas que avaliarão às cegas a pertinência, a originalidade, a clareza e a qualidade do trabalho e da redação. Ao fim dessa avaliação emitirão um parecer, podendo ser “aprovado”, “favorável à aprovação com recomendações de ajustes”, “enviar para uma segunda rodada” e “reprovar”. A análise de mérito é realizada por dois pareceristasad hoc. Em caso de discordância entre os dois pareceres, solicita-se uma terceira avaliação. Os textos para serem aprovados precisam de duas posições favoráveis à publicação, ainda que com indicações de ajustes. Os textos que forem recomendados “enviar para uma segunda rodada” serão encaminhados aos autores para ajustes e retornará para os mesmos avaliadores para obter um parecer decisivo.

3ª Etapa:Os textos aprovados serão reenviados aos autores para ajustes necessários e/ou desejáveis e, posteriormente, em prazo estipulado pela comissão editorial, reenviados para serem examinados pelos editores que observará se os ajustes, aos que foram solicitados, foram devidamente realidados. 

4ª Etapa:Os textos finalizados são encaminhados para a diagramação e posterior publicação.

OBS: O processo é organizado de modo a presevar a identidade da autoria e da avaliação.