Cultura escolar e ensino de sociologia: a história da disciplina escolar e sua prática cotidiana

Autores

  • Natalia Salan Marpica universidade de são Paulo - Doutoranda
  • Maria Aparecida Gobbi Professora Doutora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo

Palavras-chave:

Ensino de sociologia. Cultura escolar. História das disciplinas escolares.

Resumo

O presente trabalho busca alicerces nos estudos sobre a cultura escolar para a reflexão acerca da história do ensino de sociologia construída no cotidiano das escolas. A articulação entre cultura escolar e ensino de sociologia pode auxiliar a compreensão de como uma nova disciplina no currículo se integra à forma e à cultura da escola, ao mesmo tempo em que a cultura escolar é apropriada por esta nova disciplina, num movimento dialético de construção das práticas e das disciplinas escolares. Desta forma, parte-se da seguinte questão: as especificidades da sociologia e de seu ensino se articulam com os elementos da cultura escolar? De que forma? A partir da observação das aulas e de entrevista com professores, pode-se afirmar que a sociologia, como um novo corpo de saberes na escola, acaba por manter os traços da cultura escolar de maneira geral, mas também, ao ser menos vigiada e controlada, abre oportunidades para pequenas transformações das relações e práticas na escola.

Biografia do Autor

Natalia Salan Marpica, universidade de são Paulo - Doutoranda

dooutoranda em sociologia da educação pela faculdade de educação da universidade de São Paulo. Mestre em educação e licenciada em ciências sociais.

Maria Aparecida Gobbi, Professora Doutora da Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo

Possui graduação e licenciatura em Ciências Sociais pela Universidade de São Paulo, mestrado em Educação, na área de Ciências Sociais, Cultura e Educação pela Universidade Estadual de Campinas e doutorado em Educação pela Universidade Estadual de Campinas. Atualmente é professora doutora da Universidade de São Paulo.

Referências

ALTMANN, H. Influências do Banco Mundial no projeto educacional brasileiro.Educ. Pesqui., São Paulo, v. 28, n. 1, Junho de 2002.

AZEVEDO, G. C. Sociologia no ensino médio: uma trajetória político-institucional (1982-2008). Dissertação (mestrado). Universidade Federal Fluminese, Instituto de Ciências Humanas e filosofia, 2014.

BOURDIEU, P. Meditações pascalinas. Tradução Sergio Miceli. Rio de Janeiro. Betrand Brasil, 2001.

______. Sistemas de ensino e sistemas de pensamento. In: A economia das trocas simbólicas. São Paulo: Perspectiva, 1974.

BOURDIEU, P.; PASSERON, J. C. A reprodução: elementos para uma teoria do sistema de ensino. 2º. Ed. Tradução: Reynaldo Bairão. Rio de Janeiro: Ed. Francisco Alves. 1982

BRASIL. Lei 11.684. Altera o art. 36 da Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, Brasília, 2008.

CERTEAU, M. A invenção do cotidiano: 1, Artes de fazer. Petrópolis: Vozes,2005

CHARTIER, A. M. Fazeres ordinários da classe: uma aposta para a pesquisa e para a formação. Educ. Pesqui., São Paulo , v. 26, n. 2, Dec. 2000

CHERVEL, A. La culture scolaire: Une aproche historique. Paris: Belin; 1998.

COMPÈRE, M. M. La historia del tiempo escolar en la Europa. In: BERRIO, J. R. (org). La cultura escolar de Europa. Madrid: Editorial Biblioteca Nueva, 2000.

FERNANDES, F. O ensino da Sociologia na Escola Secundária Brasileira. 1º

Dossiê de Ciências Sociais, São Paulo: CEUPES. (USP/ CACS "“ PUC), 1985.

GOODSON, I. Tornando-se uma disciplina acadêmica: padrões de explicação e evolução. In: Teoria & Educação. v. 2, 1990. p. 230-254.

______. La construcción social del currículum: posibilidades y ámbitos de investigación de la historia del curriculum. In: Revista de Educación, 295(1), 7"“37., 1991.

_______. Currículo: teoria e historia. 8. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008

HAMMERSLEY, M.; HARGREAVES, A. Introduction. In: Curriculum practice: Some sociological case studies. London: The Falmer Press, 1983.

GOBBI, M. A. . Professores e professoras de sociologia no ensino médio: práticas docentes e representações. Reflexão e Ação (Online), v. 20, p. 161-174, 2012.

JULIA, D. A cultura escolar como objeto histórico. Revista Brasileira de História da Educação, n. 1, p. 9-44, 2001.

_______. Disciplinas escolares: objetivos, ensino e apropriação. In: LOPES, Alice Casimiro e MACEDO, Elizabeth (orgs.). Disciplinas e integração curricular: história e políticas. Rio de Janeiro: DP&A, 2002.

LE GOFF, J. História e memória. Trad: Bernardo Leitão, (et al). 7º. Ed. Campinas, SP: Editora da Unicamp, 2013.

LOPES, A. C.. Políticas curriculares: continuidade ou mudança de rumos?.Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro , n. 26, p. 109-118, Agosto de 2004.

MEUCCI, S. A Institucionalização da Sociologia no Brasil: os primeiros manuais e cursos. 2000. Dissertação (Mestrado) "“ Universidade Estadual de Campinas, Campinas, 2000.

NEUHOLD, R. R. As contribuições do campo acadêmico-científico aos debates sobre a institucionalização da Sociologia na educação básica. In: 35º Encontro Anual da ANPOCS, 2011, Caxambu. Anais do 35º Encontro Anual da Anpocs, 2011

SCHRIJNEMAEKERS, S. C; PIMENTA, M. de M.. Sociologia no ensino médio: escrevendo cadernos para o Projeto São Paulo faz Escola. Cad. CEDES, Campinas , v. 31, n. 85, p. 405-423, dez. 2011

VIDAL, Diana Gonçalves. No interior da sala de aula: ensaio sobre cultura e prática escolares. Currículo sem Fronteiras, v. 9, p. 25-41, 2009

VIDAL, D. G; SILVA, V. L. G. Por uma história sensorial da escola e da escolarização. Linhas (UDESC): Florianópolis. Online, v. 11, p. 13-28, 2010.

VIÑAO. F. A. A história das disciplinas escolares. In: Revista Brasileira de História da Educação, 18, 243"“269, 2008

VINCENT, Guy, LAHIRE, Bernard e THIN, Daniel. Sobre a história e a teoria da forma escolar. Educação em Revista, jun., p. 7-48, 2001.

Downloads

Publicado

2015-12-14