INSPIRAÇÃO E CRÍTICA: analisando o impacto de Rousseau na teoria de Durkheim

Bruno Barreiros

Resumo


O argumento apresentado neste trabalho tenta mostrar como a concepção de Durkheim acerca do social se constrói em alguns aspectos a partir de Rousseau e, em outros, contra. O fio condutor da análise é constituído pelas noções de crítica sobre o percurso da humanidade, de contrato social, de estado de natureza e de moral. Este trabalho demonstra que a repercussão da teoria rousseauniana na obra de Durkheim é bastante nítida, especialmente os conteúdos da obra O Contrato Social. Assim como a obra de Rousseau tem sido considerada por diversos comentadores como contraditória, seja num sentido de um reconhecimento da própria natureza contraditória do homem ou pelas contradições lógicas do seu pensamento, a relação entre Durkheim e Rousseau é também ambivalente: há um Durkheim inspirado por Rousseau e há outro que se revela como um crítico da obra do pensador de Genebra.

PALAVRAS-CHAVE: Rousseau. Durkheim. Contrato Social. Sociologia Política.

INSPIRATION AND CRITICISM:

analyzing the impact of Rousseau in Durkheim's theory

ABSTRACT

The argument presented in this paper shows how the Durkheim"™s approach about the social is built in some respects from Rousseau"™s theory and in others against. The thread of the analysis is composed by the notions of critics on humanity, social contract, state of nature and morality. This work demonstrates that the impact of Rousseau's theory in Durkheim"™s is very clear, especially the statements related to The Social Contract. Rousseau's work has been considered by many commentators as contradictory due to an affirmation of the contradictory nature of man or due to the logical contradictions of his thought. We show here that the relationship between Durkheim and Rousseau is also ambivalent: there is one Durkheim inspired by Rousseau and there is another critic of the Geneva thinker's work.

KEYWORDS: Rousseau. Durkheim. Social Contract. Political Sociology.


Palavras-chave


Teoria Social; Rousseau; Durkheim; Sociologia Política

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXANDER, Jeffrey (org). The inner development of Durkheim´s sociological theory: from early writings to maturity. The Cambridge Companion to Durkheim. New York: Cambridge University Press, 2005, p.136-159.

BLOOM, Allan. Jean-Jacques Rousseau. In: Strauss, Leo; CROPSEY, Joseph (eds.). História da filosofia política, Rio de Janeiro, Forense, 2013.

COLLINS, Randall. A tradição durkheimiana. Quatro tradições sociológicas. Petrópolis: Vozes, 2009, p.157-204.

DURKHEIM, Emile. Divisão do trabalho social. In: RODRIGUES, José Albertino (Org). Émile Durkheim. São Paulo: Ática, 1995, Coleção Grandes Cientistas Sociais, n.01.

__________________. As formas elementares da vida religiosa. São Paulo: Martins Fontes. 2 ed. 2000.

___________________. As regras do método sociológico. São Paulo: Martins Fontes. 3 ed. 2007.

_________________. Montesquieu e Rousseau: Pioneiros da sociologia. Tradução: Julia Vidili. São Paulo: Madras, 2008.

JOUVENEL, Bertrand de. A teoria de Rousseau sobre as formas de governo. In: QUIRINO, C. & SOUZA, M. (orgs.). O Pensamento Político Clássico, São Paulo, TA. Queiroz, 1980.

OLIVEIRA, Marcio. Émile Durkheim e a sociologia brasileira. In: MASSELLA, Alexandre Braga et al. (orgs.). Durkheim: 150 anos. Belo Horizonte: Argumentum, 2009.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Do contrato social. Ridendo Castigat Mores (ed. Eletrônica), 2002.

______________________. Discurso sobre a origem da desigualdade entre os homens. São Paulo: Edipro, 2015.

SILVA, Ricardo. O contextualismo linguístico na história do pensamento político: Quentin Skinner e o debate metodológico contemporâneo. Dados, vol. 53, n. 2, 2010.

SKINNER, Quentin. Visões da Política: sobre os métodos históricos. Algés: Difel, 2005.

URBINATI, Nádia. Representação como advocacy: um estudo sobre deliberação democrática. Política & Sociedade, v. 9, n. 16, 2010.

VANDENBERGHE, Frédéric. A Sociologia como uma Filosofia Prática e Moral (e vice versa). Sociologias, Porto Alegre, ano 17, no 39, 2015, p. 60-109.

VARES, Sidnei Ferreira de. Solidariedade mecânica e solidariedade orgânica em Émile Durkheim: dois conceitos e um dilema. Mediações: londrina, v. 18, n. 2, p. 148-171, jul./dez. 2013.

WATTS MILLER, William. Investigando o projeto de Durkheim. In: MASSELLA, Alexandre Braga et al. (orgs.). Durkheim: 150 anos. Belo Horizonte: Argumentum, 2009.

WEISS, Raquel. Émile Durkheim e a Fundamentação Social da Moralidade. Tese de Doutorado. São Paulo. Universidade de São Paulo, 2011.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Café com Sociologia é uma publicação semestral, voltada para o debate sobre temas relevantes das Ciências Sociais (Sociologia, Antropologia e Ciência Política) e da docência dessas ciências.

ISSN: 2317-0352

INDEXADORES:

Google Acadêmico

Academia.edu

ANPOCS

DIADORIM

REDIB

Latindex

 

Na avaliação QUALIS para o quadriênio 2013-2016 a Revista Café com Sociologia foi assim avaliada:

LETRAS / LINGUÍSTICA =B2

ENSINO = B3

SERVIÇO SOCIAL =B3

INTERDISCIPLINAR = B4

PSICOLOGIA = B4

SOCIOLOGIA = B5

HISTÓRIA = B5

ANTROPOLOGIA/ARQUEOLOGIA = B5

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO = B5

HISTÓRIA = B5




POLÍTICA DE AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS

Os artigos recebidos passam por quatro etapas:

1ª Etapa:uma primeira avaliação realizada por integrantes do conselho editorial. Nesse momento são observados: i) se não há no texto indicação de autoria, a fim de garantir um processo de avaliação às cegas; ii) se o texto enquadra-se no foco da revista; iii) se o texto apresenta clareza quanto ao problema de pesquisa, o objeto, o método e os resultados alcançados e; iv) se atende as diretrizes de formatação do texto (ver diretrizes para autores). Os textos que não atenderem a um desses aspectos será arquivado e não enviado aos pareceristas, que é etapa seguinte. 

2ª Etapa: os textos são enviados a dois pareceristas que avaliarão às cegas a pertinência, a originalidade, a clareza e a qualidade do trabalho e da redação. Ao fim dessa avaliação emitirão um parecer, podendo ser “aprovado”, “favorável à aprovação com recomendações de ajustes”, “enviar para uma segunda rodada” e “reprovar”. A análise de mérito é realizada por dois pareceristasad hoc. Em caso de discordância entre os dois pareceres, solicita-se uma terceira avaliação. Os textos para serem aprovados precisam de duas posições favoráveis à publicação, ainda que com indicações de ajustes. Os textos que forem recomendados “enviar para uma segunda rodada” serão encaminhados aos autores para ajustes e retornará para os mesmos avaliadores para obter um parecer decisivo.

3ª Etapa:Os textos aprovados serão reenviados aos autores para ajustes necessários e/ou desejáveis e, posteriormente, em prazo estipulado pela comissão editorial, reenviados para serem examinados pelos editores que observará se os ajustes, aos que foram solicitados, foram devidamente realidados. 

4ª Etapa:Os textos finalizados são encaminhados para a diagramação e posterior publicação.

OBS: O processo é organizado de modo a presevar a identidade da autoria e da avaliação.