Las locas: as Mães da Praça de Maio e a Embaixada dos Estados Unidos em Buenos Aires na busca pelos desaparecidos da ditadura civil-militar argentina (1976-1983)

Gabriel Roberto Dauer

Resumo


Este artigo busca verificar quais foram as estratégias transnacionais de denúncia das Mães da Praça de Maio na busca dos desaparecidos da ditadura civil-militar argentina de 1976-1983. Dentre os diversos contatos estabelecidos pelo grupo, a pesquisa foca-se na sua relação com a Embaixada dos Estados Unidos da América em Buenos Aires para obter apoio desse país. Conclui-se que as estratégias transnacionais das Mães da Praça de Maio para chamar a atenção dos Estados Unidos da América ao caso dos desaparecidos obtiveram maiores resultados durante a administração de Jimmy Carter, apesar do redirecionamento de sua política externa devido a pressões internas. Entretanto, após a eleição de Ronald Reagan, as táticas do grupo para obter auxílio do governo estadunidense foram barradas pela diplomacia silenciosa da nova administração.

Palavras-chave: Argentina. Estados Unidos da América. Ditadura. Mães da Praça de Maio. Desaparecidos.

 

 

Abstract

This article studies the transnational strategies used by the Mothers of the Plaza de Mayo to denounce the case of the disappeared during the Argentinian civil-military dictatorship of 1976-1983. Among the great number of worldwide contacts of the group, this work focuses on its relationship with the United States of America Embassy in Buenos Aires. General conclusions show that the transnational strategies of the Mothers of the Plaza de Mayo used to draw the attention of the United States of America to the case of the disappeared, which obtained greater results during Jimmy Carter's administration, despite the twists of his human rights foreign policy caused by domestic pressure. However, after Ronald Reagan's election, the tactics of the group to get aid from the government of the United States of America were blocked by the silent diplomacy of the new administration.

Keywords: Argentina. United States of America. Dictatorship. Mothers of the Plaza de Mayo. Disappeared.


Palavras-chave


Argentina. Estados Unidos da América. Ditadura. Mães da Praça de Maio. Desaparecidos.

Texto completo:

PDF

Referências


AMNESTY INTERNATIONAL. REPORT OF AN AMNESTY INTERNATIONAL MISSION TO ARGENTINA, 6-15 NOVEMBER 1976. 1977. Disponível em: . Acesso em: 23 abr. 2017.

AMPM - Asociación Madres de Plaza de Mayo. Historia de las Madres de Plaza de Mayo. Buenos Aires: Ediciones Asociación Madres de Plaza de Mayo, 1995.

ARGENTINA. Ministerio de Defensa. Actas de la Dictadura: documentos de la Junta Militar encontrados en el Edificio Cóndor. Tomo 3: actas 66 a 123, 11 de julio de 1978 "“ 11 de diciembre de 1979. Ciudad Autónoma de Buenos Aires: Ministerio de Defensa, 2014a. 1a. ed. Disponível em: . Acesso em: 21 maio 2017.

BARTOLOMEI, Maria Luisa; WEISSBRODT, David. The Effectiveness of International Human Rights Pressures: The Case of Argentina, 1976-1983. 75 Minn. L. Rev., 1991, pp. 1009-1035. Disponível em : .

BENFORD, R. D.; SNOW, D. A. Framing Processes and Social Movements: An Overview and Assessment. Annual Review Sociologic, V. 26, N. 1974, pp. 611"“639, 2000.

BERBRIER, M. "Half the battle": cultural resonance, framing processes, and ethnic affectations in contemporary white separatists rhetoric. Soc. Probl., V. 45, N. 4, pp. 431"“50, 1998.

BOMBAL, Inés Gonzáles. De Vítimas a Sujeitos: as Mães da Plaza de Mayo. Revista de Ciências Humanas, v. 8., n. 11, pp. 49-70, 1992. Disponível em: .

BOSCO, Fernando J. Place, space, networks, and the sustainability of collective action: the Madres de Plaza de Mayo. Global Networks, v. 1, 2001, pp. 307"“329. Disponível em:

BOUVARD, Marguerite Guzman. Revolutionizing Motherhood: The Mothers of the Plaza De Mayo. Wilmington: Scholarly Resources Inc., 1994.

CALVEIRO, Pilar. Poder y desaparición: los campos de concentración en Argentina. Buenos Aires: Colihue, 2006.

DELLA PORTA, Donatella; TARROW, Sidney G. Transnational Protest and Global Activism. Lanham, Maryland: Rowman & Littlefield, 2005.

DEPARTAMENTO DE ESTADO DOS ESTADOS UNIDOS (DoS); Embaixada dos Estados Unidos em Buenos Aires. U.S. Embassy (Hill) to secretary of state (Vance), 17 de março de 1977, Argentine Reactions to Human Rights. Disponível em: .

______. U.S. Embassy (Hill) to secretary of state (Vance), 1977b, Argentine Reactions to Human Rights.

______. Carta das Mães da Praça de Maio ao Embaixador dos EUA Raúl Castro, 1977c, Foreign language document.

______. To the Embassador From Harris, 1977d, Disappearances of persons connected to Mother"™s Group.

______. U.S. Embassy, 1978a, Argentina: Human Rights and Bilateral Relations.

______. U.S. Embassy (King), 1981a, Arrest of Mothers of Pluwa (sic) de Mayo.

______. U.S. Embassy (King), 1981b, Arrest of Mothers of Plaza de Mayo.

______. U.S. Embassy (Shlaudeman), 1981c, Mothers and GOA on collison course.

______. U.S. Embassy, 1981d, Mothers of the Plaza de Mayo "“ April 30 demonstration.

______. U.S. Embassy (Haig), 1 de julho de 1981e, Paza (sic) Mothers visit department.

______. U.S. Embassy, 8 de julho de 1981f, Plaza de Mayo Mothers"™ Papers Seized.

______. U.S. Embassy (Haig), 1981g, Seizure of items from Mothers of the Plaza de Mayo.

______. U.S. Embassy (Shlaudeman), 1981h, Mothers"™ day protest march.

______. Memorando, 1983a, Summary of the Visit of James Thyden, Human Rights Office Director.

DUMBRELL, John. American Foreign Policy: Carter to Clinton. Palgrave MacMillan: United Kingdom, 1997.

FIGUEIREDO, M. "¡Aparición con vida!": a importância da trajetória das Madres de Plaza de Mayo para os direitos humanos. 2016. 131 f. Dissertação (Mestrado) "“ Universidade Federal de São Paulo, Curso de Programa de Pós-graduação em Ciências Sociais, São Paulo.

JASPER, J. M. The Art of Moral Protest. Chicago: Univ. Chicago Press, 1997.

KECK, M. E.; SIKKINK, K. Activists beyond borders: advocacy networks in international politics. Ithaca, N.Y.: Cornell University Press, 1998.

______. Transnational advocacy networks in international and regional politics. International Social Science Journal, v. 51, n. 159, p. 89-101, 1999.

McADAM, Doug; TARROW, Sidney; TILLY, Charles. Para mapear o confronto político. Revista Lua Nova, nº 76, São Paulo, 2009, pp. 11 "“ 48.

MELUCCI, Alberto. The Process of Collective Identity. In: JOHNSTON, Hank; KLANDERMANS, Bert (Editores). Social movements and culture. Minneapolis: University of Minnesota Press, 2004. pp.41-63.

______. A invenção do presente: movimentos sociais nas sociedades complexas. Petrópolis: Vozes, 2001.

NAVARRO, Marysa. The personal is political: Las Madres de Plaza de Mayo. In: ECKSTEIN, S. (Ed.). Power and popular protest: Latin American social movements. Berkeley: University of California Press, 2001. pp. 241-258.

NOVARO, Marcos; PALERMO, Vicente. A ditadura militar argentina, 1976-1983: do golpe de Estado à restauração democrática. São Paulo: EDUSP, 2007. 743p.

OEA. Comissão Interamericana de Direitos Humanos. Report on the Situation of Human Rights in Argentina. OEA/Ser.L/V/II.49 Doc. 19, corr.1 (1980).

QUIROGA, Hugo. El tiempo del "Proceso". In: SURIANO, Juan (Dir.). Dictadura y democracia: 1976-2001. Buenos Aires: Sudamericana, 2005.

RISSE, Thomas; SIKKINK, Kathryn. The socialization of international human rights norms into domestic practices: introduction. In: RISSE, Thomas; ROPP, Stephen C.; SIKKINK, Kathryn (Org.). The power of human rights: international norms and domestic change. New York: Cambridge University Press, 1999. pp. 1-38.

RISSE, T. Transnational Actors and World Politics. In: CARLSNAES, W.; RISSE, T.; A SIMMONS, B. (Ed.). Handbook of International Relations. London: Sage Publications, 2013. p. 426-452. Disponível em: . Acesso em: 7 out. 2016.

SCHMIDLI, William Michael. The fate of freedom elsewhere: human rights and U.S. Cold War policy toward Argentina. Ithaca, N.Y.: Cornell University Press, 2013.

SKIDMORE, David. Carter and the Failure of Foreign Policy Reform. Political Science Quarterly, [s.l.], v. 108, n. 4, p.699-729, 1993. Wiley-Blackwell. Disponível em: . Acesso em: 27 abr. 2017.

SZNADJER, M. El impacto de la aplicación de las Doctrinas de Seguridad Nacional en el Cono Sur. In: BALABAN, O. e MEGGED, A. (Comps). Impunidad y derechos humanos en América Latina. La Plata: Universidad de Haifa y Ediciones Al Margen, 2003. p.153-169.

TARROW, S. The new transnational activism. New York: Cambridge University Press, 2005.

______. Power in movement: social movements and contentious politics. New York: Cambridge University Press, 2011.

THORNTON, S. W. Grief Transformed: The Mothers of the Plaza de Mayo. OMEGA - Journal of Death and Dying. V. 41, n. 4, pp. 279-289. 2016. Disponível em: . Acesso em: 30 mar. 2017.

VALDES, E. G. El Terrorismo de Estado (El problema de su legitimación e ilegitimidad). Revista de Estudios Políticos (Nueva Epoca), n. 65, jul.-set., 1989. Disponível em: . Acesso em: 20 mar. 2017.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Café com Sociologia é uma publicação semestral, voltada para o debate sobre temas relevantes das Ciências Sociais (Sociologia, Antropologia e Ciência Política) e da docência dessas ciências.

ISSN: 2317-0352

INDEXADORES:

Google Acadêmico

Academia.edu

ANPOCS

DIADORIM

REDIB

Latindex

 

Na avaliação QUALIS para o quadriênio 2013-2016 a Revista Café com Sociologia foi assim avaliada:

LETRAS / LINGUÍSTICA =B2

ENSINO = B3

SERVIÇO SOCIAL =B3

INTERDISCIPLINAR = B4

PSICOLOGIA = B4

SOCIOLOGIA = B5

HISTÓRIA = B5

ANTROPOLOGIA/ARQUEOLOGIA = B5

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO = B5

HISTÓRIA = B5




POLÍTICA DE AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS

Os artigos recebidos passam por quatro etapas:

1ª Etapa:uma primeira avaliação realizada por integrantes do conselho editorial. Nesse momento são observados: i) se não há no texto indicação de autoria, a fim de garantir um processo de avaliação às cegas; ii) se o texto enquadra-se no foco da revista; iii) se o texto apresenta clareza quanto ao problema de pesquisa, o objeto, o método e os resultados alcançados e; iv) se atende as diretrizes de formatação do texto (ver diretrizes para autores). Os textos que não atenderem a um desses aspectos será arquivado e não enviado aos pareceristas, que é etapa seguinte. 

2ª Etapa: os textos são enviados a dois pareceristas que avaliarão às cegas a pertinência, a originalidade, a clareza e a qualidade do trabalho e da redação. Ao fim dessa avaliação emitirão um parecer, podendo ser “aprovado”, “favorável à aprovação com recomendações de ajustes”, “enviar para uma segunda rodada” e “reprovar”. A análise de mérito é realizada por dois pareceristasad hoc. Em caso de discordância entre os dois pareceres, solicita-se uma terceira avaliação. Os textos para serem aprovados precisam de duas posições favoráveis à publicação, ainda que com indicações de ajustes. Os textos que forem recomendados “enviar para uma segunda rodada” serão encaminhados aos autores para ajustes e retornará para os mesmos avaliadores para obter um parecer decisivo.

3ª Etapa:Os textos aprovados serão reenviados aos autores para ajustes necessários e/ou desejáveis e, posteriormente, em prazo estipulado pela comissão editorial, reenviados para serem examinados pelos editores que observará se os ajustes, aos que foram solicitados, foram devidamente realidados. 

4ª Etapa:Os textos finalizados são encaminhados para a diagramação e posterior publicação.

OBS: O processo é organizado de modo a presevar a identidade da autoria e da avaliação.