MARX E POLANYI: A CONSTRUÇÃO DE UMA EPISTEMOLOGIA CRÍTICA AO LIBERALISMO ECONÔMICO

Ticiana Amaral

Resumo


O propósito do artigo é, a partir das obras de Marx e Polanyi, realizar uma revisão teórica centrada no pensamento crítico que os autores direcionaram à Economia Política burguesa, especialmente às ¨falácias epistemológicas¨, cujo objetivo seria de justificar um modo de produção desumanizante, que submete as demais esferas da vida social às leis de mercado, e o de naturalizar leis próprias, através da separação institucional entre sociedade e economia. Busca-se demonstrar como, apesar de diferenças teóricas e metodológicas, Marx e Polanyi elaboraram uma crítica sólida aos postulados do liberalismo econômico, em específico ao que concerne a visão de natureza humana e livre mercado.


Palavras-chave


Marx; Polanyi. Epistemologia. Economia Política. Homo-economicus.

Texto completo:

PDF

Referências


BLOCK, F. Polanyi’s Double Movement and the Reconstruction of Critical Theory. Revue Interventions économiques. Quebéc, vol. 38, pp. 1-18, 2008.

_____. Introducción. In: POLANYI, K. La Gran Transformación: Los origenes políticos y económicos de nuestro tempo. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, pp. 21-43, 2011.

MARX, K. El Capital: Critica da Economia Política. São Paulo: Nova Cultural Ltda, 1996.

_____. El Capital: Critica de la Economia Politica. Havana: Instituto Nacional del Libro, 1962.

_____. Manuscritos Econômicos e Filosóficos. São Paulo: Boitempo, 2004.

_____. Grundrisse: Foundations of the critique of Economic Policy. Nova York: Penguin Books, 1993.

_____. Prologo De La Contribucion a La Critica de La Economia Politica. In: Marx y Engels: Obras escogidas. Moscou: Editorial Progreso, [s.a], pp. 181-185.

_____. Critique of the Gotha Programme. Disponível em: < https://www.marxists.org/archive/marx/works/1875/gotha/ch01.htm>. Acesso em 03 de agosto, 2017.

MARSHALL, Alfred. Principles of Economics. New York, Amherst, 1997.

MENDELL, M. Karl Polanyi et Le Processus Institué de Démocratisation Économique. Revue Interventions économiques. Quebéc, vol. 33, pp. 1-17, 2006.

MILL, J. S. Princípios de Economia Política. São Paulo: Nova Cultural Ltda, 1996.

POLANYI, K. A subsistência do Homem e Ensaios Correlatos. Organização de Kari Polanyi Levitt. Organização de Michele Cangiani. Rio de Janeiro: Contraponto, 2012.

_____. La Gran Transformación: Los origenes políticos y económicos de nuestro tempo. Prólogo de Joseph E. Stiglitz. Introdução de Fred Block. Buenos Aires: Fondo de Cultura Económica, 2011.

POLANYI-LEVITT, K. Polanyi’s Vision of a Socialist Transformation:Freedom of Action and Freedom of Thought. Montreal: Université du Québec, 2017.

RICARDO, D. Princípios de Economia Política e Tributação. São Paulo: Nova Cultural Ltda, 1996.

ROBBINS, Lionel. Naturaleza y Significación de la Ciencia Económica. México, Fondo de Cultura Económico, 1944.

SMITH, A. A Riqueza das Nações: Investigação sobre sua natureza e suas causas. São Paulo: Nova Cultural Ltda, 1996.

_____. A Mão Invisível. São Paulo: Penguin – Companhia das Letras, 2013.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Café com Sociologia é uma publicação semestral, voltada para o debate sobre temas relevantes das Ciências Sociais (Sociologia, Antropologia e Ciência Política) e da docência dessas ciências.

ISSN: 2317-0352

INDEXADORES:

Google Acadêmico

Academia.edu

ANPOCS

DIADORIM

REDIB

Latindex

 

Na avaliação QUALIS para o quadriênio 2013-2016 a Revista Café com Sociologia foi assim avaliada:

LETRAS / LINGUÍSTICA =B2

ENSINO = B3

SERVIÇO SOCIAL =B3

INTERDISCIPLINAR = B4

PSICOLOGIA = B4

SOCIOLOGIA = B5

HISTÓRIA = B5

ANTROPOLOGIA/ARQUEOLOGIA = B5

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO = B5

HISTÓRIA = B5




POLÍTICA DE AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS

Os artigos recebidos passam por quatro etapas:

1ª Etapa:uma primeira avaliação realizada por integrantes do conselho editorial. Nesse momento são observados: i) se não há no texto indicação de autoria, a fim de garantir um processo de avaliação às cegas; ii) se o texto enquadra-se no foco da revista; iii) se o texto apresenta clareza quanto ao problema de pesquisa, o objeto, o método e os resultados alcançados e; iv) se atende as diretrizes de formatação do texto (ver diretrizes para autores). Os textos que não atenderem a um desses aspectos será arquivado e não enviado aos pareceristas, que é etapa seguinte. 

2ª Etapa: os textos são enviados a dois pareceristas que avaliarão às cegas a pertinência, a originalidade, a clareza e a qualidade do trabalho e da redação. Ao fim dessa avaliação emitirão um parecer, podendo ser “aprovado”, “favorável à aprovação com recomendações de ajustes”, “enviar para uma segunda rodada” e “reprovar”. A análise de mérito é realizada por dois pareceristasad hoc. Em caso de discordância entre os dois pareceres, solicita-se uma terceira avaliação. Os textos para serem aprovados precisam de duas posições favoráveis à publicação, ainda que com indicações de ajustes. Os textos que forem recomendados “enviar para uma segunda rodada” serão encaminhados aos autores para ajustes e retornará para os mesmos avaliadores para obter um parecer decisivo.

3ª Etapa:Os textos aprovados serão reenviados aos autores para ajustes necessários e/ou desejáveis e, posteriormente, em prazo estipulado pela comissão editorial, reenviados para serem examinados pelos editores que observará se os ajustes, aos que foram solicitados, foram devidamente realidados. 

4ª Etapa:Os textos finalizados são encaminhados para a diagramação e posterior publicação.

OBS: O processo é organizado de modo a presevar a identidade da autoria e da avaliação.