Determinações contemporâneas e as condições éticas e técnicas do Assistente Social

Autores

  • Fabrício Rodrigues da Silva Universidade Estadual da Paraíba - UEPB
  • Cynthia Studart Albuquerque Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE
  • Raí Vieira Soares Universidade Federal do Tocantins - UFT

Palavras-chave:

Trabalho. Precarização. Serviço Social.

Resumo

Na contemporaneidade, o mundo do trabalho tem sido marcado pela precarização e pelo desemprego estrutural, como consequência imediata da ofensiva do capital em crise. No Brasil, tal contexto reflete no aprofundamento da precarização e do desemprego estrutural, repercutindo também nas condições éticas e técnicas do exercício profissional dos/as Assistentes Sociais. O objetivo deste trabalho é analisar e discutir as condições éticas e técnicas do exercício profissional do/a Assistente Social na contemporaneidade, observando os limites e possibilidades que se materializam no presente. Recorre-se a uma revisão de literatura em produções clássicas e contemporâneas acerca do tema. Recorre-se também ao materialismo histórico dialético como método para a análise da realidade.

Palavras-chave: Trabalho. Precarização. Serviço Social.

 

Abstract

In contemporary, the world of work has been marked by precariousness and structural unemployment as an immediate consequence of the offensive of the capital in crisis. In Brazil, this context reflects on the deepening of precariousness and structural unemployment, also reflecting on the ethical and technical conditions of professional exercise of social workers. The objective of this work is to analyze and discuss the ethical and technical conditions of professional exercise of the Social Worker in contemporaneity, observing the limits and possibilities that materialize in the present. A literature review is used in classical and contemporary productions on the subject. Dialectical historical materialism is also used as a method for reality analysis.

Keywords: Work. Precariousness. Social Work.

Biografia do Autor

Fabrício Rodrigues da Silva, Universidade Estadual da Paraíba - UEPB

Assistente Social e Professor Substituto do Curso de Serviço Social do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE. Mestrando em Serviço Social, pelo programa de Pós-graduação em Serviço Social/PPGSS, Centro de Ciências Sociais Aplicadas, na Universidade Estadual da Paraíba/UEPB, em Campina Grande, Paraíba. Área de concentração: Serviço Social, Questão Social e Direitos Sociais. Linha de pesquisa: Serviço social, Estado, Trabalho e Políticas Sociais. Membro do Grupo de Estudos, Pesquisas e Assessoria em Políticas Sociais - GEAPS - DSS - UEPB. Membro do Núcleo de Educação, Políticas Sociais e Serviço Social - NEPSSS e Grupo de Estudos em Seguridade Social, Fundo Público e Ajuste Fiscal - IFCE. Pesquisa na área da Financeirização do Capital, Ajuste FIscal, Fundo Público e Seguridade Social brasileira, com enfoque na Previdência Social. Especialista em Ciências da Educação e Docência do Ensino Superior pelo Centro Universitário Vale do Salgado/UNIVS.

Cynthia Studart Albuquerque, Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará - IFCE

Doutora em Serviço Social na Universidade Federal do Rio de Janeiro - UFRJ. Graduada em Serviço Social pela Universidade Estadual do Ceará (2003) e Mestre em Sociologia pela Universidade Federal do Ceará (2006). Professora do quadro efetivo do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE - campus Iguatu), do Curso de Serviço Social e professora colaboradora do mestrado acadêmico em Serviço Social, trabalho e questão social. Líder do Grupo de Pesquisa Educação, Políticas Sociais e Serviço Social - NEPSSS. Experiência na área de juventude, assistência social, política sobre drogas e de saúde mental. Autora dos livros "Assistência Social em Fortaleza: uma política de direito em construção", "Transformações contemporâneas, educação e realidade brasileira: a formação profissional em Serviço Social na experiência do IFCE" e "Drogas e Proteção Social: os desafios da intersetorialidade". Conselheira do Conselho Regional de Serviço Social - Cress 3ª região, gestão 2017-2020 "Nossa Voz na Rua Vem Para Lutar".

Raí Vieira Soares, Universidade Federal do Tocantins - UFT

Professor Assistente no curso de graduação em Serviço Social, do Projeto/curso de Serviço Social UFT/PRONERA/INCRA e do curso de Especialização em Serviço Social e Política Social da Universidade Federal do Tocantins (UFT) campus de Miracema. Doutorando em Política Social na Universidade de Brasília (UnB). Mestre em Serviço Social, Trabalho e Questão Social pela Universidade Estadual do Ceará (UECE). Bacharel em Serviço Social pelo Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) campus Iguatu. Pesquisador do Grupo de Estudos e Pesquisa em Política Social, Intersetorialidade e Interdisciplinaridade (GEPSI - UFT). Ênfase em estudos na área de Educação Superior, Trabalho e Formação Profissional em Serviço Social.

Referências

ALVES, G. Dimensões da reestruturação produtiva: ensaios de sociologia do trabalho. 2 ed. Londrina: Praxis; Bauru: Canal 6, 2007.

AMARAL, M. S; CARCANHOLO, M. D. superexploração da força de trabalho e transferência de valor: fundamentos da reprodução do capitalismo dependente. In: FERREIRA, C; OSORIO, J; MATHIAS, L. (ORGS.) Padrão de reprodução do capital: contribuições da teoria marxista da dependência. São Paulo: Boitempo, 2012.

ANDERSON, P. Balanço do neoliberalismo. In. SADER, E; GENTIL, P. (ORGS.). Pós-neoliberalismo: as políticas sociais e o Estado democrático. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

ANTUNES, R. Adeus ao trabalho? ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 16 ed. São Paulo: Cortez, 2015.

BARROCO, M. L. S. Barbárie e neoconservadorismo: os desafios do projeto ético-político. Serviço Social e Sociedade. n. 106, p. 205-218, São Paulo, abr./jun. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010166282011000200002&lng=pt&nrm=is&tlng=pt . Acesso em: 05 abr. 2020.

BEHRING, E. Brasil em contrarreforma: desestruturação do Estado e perda de direitos. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2008.

CFESS. Conselho Federal de Serviço Social. Resolução N.º 493/2006: dispõe sobre as condições éticas e técnicas do exercício profissional do Assistente Social. Brasília, 2006. Disponível em <http://www.cfess.org.br/visualizar/noticia/cod/37>. Acesso em 05 abr. 2020.

CHAUÍ, M. Mito fundador e sociedade autoritária. 1 ed. Fundação Perseu Abramo, 2000.

CHESNAIS, F. Doze teses sobre a mundialização do capital. In: FERREIRA, C; SCHERER, A. F. O Brasil frente à ditadura do capital financeiro: reflexões e alternativas. Lajeado: UNIVATS, 2005.

FERNANDES, F. A revolução burguesa no Brasil: ensaios de interpretação sociologia. 5 ed. São Paulo: Globo, 2005.

FONTES, V. O Brasil e o capital-imperialismo: teoria e história. Rio de Janeiro: EPSJV, UFRJ, 2010.

GUERRA, Y. Nas pegadas dos 80 anos de história do Serviço Social: o debate da instrumentalidade com marco. In: SILVA, M. L. O. (ORG.). Serviço Social no Brasil: histórias de resistência e de ruptura com o conservadorismo. 1 ed. São Paulo: Cortez, 2016.

HARVEY, D. Condição Pós-moderna: uma pesquisa sobre as origens da mudança cultural. São Paulo: Edições Loyola, 1992.

HARVEY, D. O novo imperialismo. São Paulo: Edições Loyola, 2014.

IAMAMOTO, M. V. O Serviço Social na contemporaneidade: trabalho e formação profissional. 26 ed. São Paulo: Cortez, 2015.

MANDEL, E. A crise do capital: os fatos e sua interpretação marxista. São Paulo: Ensaio, 1990.

MATOS, M. C. Considerações sobre atribuições e competências profissionais de assistentes sociais na atualidade. Serviço Social e Sociedade. n. 124, p. 678-698, out./dez. São Paulo, 2015. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-66282015000400678&lng=pt&nrm=is&tlng=pt . Acesso em: 05 abr. 2020.

MÉSZÁROS, I. A crise estrutural do capital. 2 ed. São Paulo: Boitempo, 2011.

MOTA, A. E. Espaços ocupacionais e dimensões políticas da prática do assistente social. Serviço Social e Sociedade, n. 120, p. 694-705, São Paulo, out./dez. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010166282014000400006&lng=pt&nrm=is&tlng=pt . Acesso em: 05 abr. 2020.

NETTO, J. P. Crise do capital e consequências societárias. Serviço Social e Sociedade, n. 111, p. 413-429, jul./set. 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S010166282012000300002&lng=pt&nrm=is&tlng=pt . Acesso em: 05 abr. 2020.

PEREIRA, L. D. A expansão dos cursos de Serviço Social em tempos de contrarreforma do ensino superior brasileiro: impactos na formação profissional em Serviço Social. Revista de Políticas Públicas, v. 14, p. 323-331, São Luís, ago. 2010. Disponível em http://www.periodicoseletronicos.ufma.br/index.php/rppublica/article/view/426. Acesso em: 05 abr. 2020.

RAICHELES, R; VICENTE, D; ALBUQUERQUE, V. A nova morfologia do trabalho no Serviço Social. São Paulo: Cortez, 2018.

RAICHELIS, R. O assistente social como trabalhador assalariado: desafios frente às violações de seus direitos. Serviço Social e Sociedade, n. 107, p. 420-437, São Paulo, jul./set. 2011. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0101-66282011000300003&lng=pt&nrm=is&tlng=pt. Acesso em: 05 abr. 2020.

SALVADOR, E. Fundo Público e Seguridade Social no Brasil. São Paulo, Cortez, 2010.

SAMPAIO JR, P. A. Crônica de uma crise anunciada: à crítica a economia política de Lula e Dilma. São Paulo: Amarante Editorial, 2017.

SANTOS, J. S. “Questão Social”: particularidades no Brasil. São Paulo: Cortez, 2012.

SANTOS, M. T; MANFROI, V. M. Condições de trabalho das/os assistentes sociais: precarização ética e técnica do exercício profissional. Em pauta, n. 36, p. 178-196, Rio de Janeiro, 2015. Disponível em https://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/revistaempauta/article/view/21057 . Acesso em: 05 abr. 2020.

Recebido em: 02 de mar. 2020.

Aprovado em: 20 de abr. 2020

Forma de citar este texto (ABNT):

SILVA, Fabrício Rodrigues da; ALBUQUERQUE, Cynthia Studart; SOARES, Raí Vieira. Determinações contemporâneas e as condições éticas e técnicas do Assistente Social. Revista Café com Sociologia, Maceió, v.9, n. 1, p. 141-154, jan./jul. 2020.

Downloads

Publicado

2020-08-22

Edição

Seção

Artigos