Estilos de vida e performances masculinas entre homens gays em Recife, Pernambuco

Tarsila Chiara Albino da Silva Santana

Resumo


Neste artigo pretendo analisar os estilos de vida e as visões de mundo de homens que se identificam como gays. Procuro, ainda, analisar os seus discursos a respeito das suas performances masculinas, destacando particularmente os processos ambíguos e ambivalentes na construção dessas performances masculinas. Para tanto, pretendo analisar o jogo intenso e dinâmico que perpassa a constituição das "˜identidades gays"™ construídas através do ativismo político, para igualmente, analisar como as "˜identidades gays"™ foram reinventadas pelo mercado e transformadas em um bem de consumo, tornando-se assim, a "˜identidade gay"™ hegemônica um produto e um único modelo homossexual. Por fim, busco analisar a diversidade das "˜identidades gays"™ e a pluralidade das formas de se identificar "˜homossexual"™.

Palavras-chave


Estilo de vida; Performances masculinas; Homossexualidade masculina

Texto completo:

PDF

Referências


AGIER, Michel. Antropologia da cidade: lugares, situações, movimentos. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 2011.

ALTAF, Joyce Gonçalves; TROCCOLI, Irene Raguenet. Esta roupa é a minha cara: gays, luxo e consumo. Rio de Janeiro: Garamond, 2011.

FRANÇA. Isadora Lins. Sobre "guetos" e "rótulos": tensões no mercado GLS na cidade de São Paulo. cadernos pagu (28), janeiro-junho de 2007:227-255.

KOURY, Mauro Guilherme Pinheiro. Estilos de vida e individualidade. Revista Horizontes antropológicos, Porto Alegre, ano 16, n. 33, p. 41-53, jan/jun, 2010.

MAGNANI, José Guilherme. Da periferia ao centro: trajetórias de pesquisa em antropologia urbana. São Paulo: Editora Terceiro Nome, 2012.

MISKOLCI, Richard. A gramática do Armário: notas sobre segredos e mentiras em relações homoeróticas masculinas mediadas digitalmente. In: Pelúcio, Larissa; Souza, Luis Antonio Francisco de et alli. (Org.). Olhares plurais para o cotidiano: gênero, sexualidade e mídia. 1ed. Marília: Cultura Acadêmica, 2012, v. 1, p. 35-55.

MISKOLCI, Richard. Negociando visibilidades: segredo e desejo em relações homoeróticas masculinas criadas por mídias digitais. Bagoas - Estudos gays: gêneros e sexualidades, n.11 de 2014: 51-78.

OLIVEIRA, Jainara Gomes de. Prazer e risco: Um estudo antropológico sobre práticas homoeróticas entre mulheres em João Pessoa, PB. Dissertação (mestrado) "“ Programa de Pós-Graduação em Antropologia da Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa. 2014.

VELHO, Gilberto. Projeto e metamorfose. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 1994.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Café com Sociologia é uma publicação semestral, voltada para o debate sobre temas relevantes das Ciências Sociais (Sociologia, Antropologia e Ciência Política) e da docência dessas ciências.

ISSN: 2317-0352

INDEXADORES:

Google Acadêmico

Academia.edu

ANPOCS

DIADORIM

REDIB

Latindex

 

Na avaliação QUALIS para o quadriênio 2013-2016 a Revista Café com Sociologia foi assim avaliada:

LETRAS / LINGUÍSTICA =B2

ENSINO = B3

SERVIÇO SOCIAL =B3

INTERDISCIPLINAR = B4

PSICOLOGIA = B4

SOCIOLOGIA = B5

HISTÓRIA = B5

ANTROPOLOGIA/ARQUEOLOGIA = B5

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO = B5

HISTÓRIA = B5




POLÍTICA DE AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS

Os artigos recebidos passam por quatro etapas:

1ª Etapa:uma primeira avaliação realizada por integrantes do conselho editorial. Nesse momento são observados: i) se não há no texto indicação de autoria, a fim de garantir um processo de avaliação às cegas; ii) se o texto enquadra-se no foco da revista; iii) se o texto apresenta clareza quanto ao problema de pesquisa, o objeto, o método e os resultados alcançados e; iv) se atende as diretrizes de formatação do texto (ver diretrizes para autores). Os textos que não atenderem a um desses aspectos será arquivado e não enviado aos pareceristas, que é etapa seguinte. 

2ª Etapa: os textos são enviados a dois pareceristas que avaliarão às cegas a pertinência, a originalidade, a clareza e a qualidade do trabalho e da redação. Ao fim dessa avaliação emitirão um parecer, podendo ser “aprovado”, “favorável à aprovação com recomendações de ajustes”, “enviar para uma segunda rodada” e “reprovar”. A análise de mérito é realizada por dois pareceristasad hoc. Em caso de discordância entre os dois pareceres, solicita-se uma terceira avaliação. Os textos para serem aprovados precisam de duas posições favoráveis à publicação, ainda que com indicações de ajustes. Os textos que forem recomendados “enviar para uma segunda rodada” serão encaminhados aos autores para ajustes e retornará para os mesmos avaliadores para obter um parecer decisivo.

3ª Etapa:Os textos aprovados serão reenviados aos autores para ajustes necessários e/ou desejáveis e, posteriormente, em prazo estipulado pela comissão editorial, reenviados para serem examinados pelos editores que observará se os ajustes, aos que foram solicitados, foram devidamente realidados. 

4ª Etapa:Os textos finalizados são encaminhados para a diagramação e posterior publicação.

OBS: O processo é organizado de modo a presevar a identidade da autoria e da avaliação.