Estado e políticas públicas: desafios contemporâneos no exercício profissional de assistentes sociais

André Monteiro Moraes

Resumo


Na tentativa de responder as necessidades de controle da força de trabalho, o Estado assume o enfrentamento das expressões da questão social legitimando a expansão e reprodução do capitalismo, com isso intensifica as contradições e precarização das condições de vida da classe trabalhadora. E assim, o desemprego estrutural acaba atingindo toda a esfera global e intensifica as expressões da questão social. Portanto, compreender as políticas sociais, em meio ao recorte conjuntural no cenário político e econômico do capital na lógica neoliberal, nos faz atentar para o seu caráter contraditório que elas assumem perante realidade mundial e como essa lógica reverbera no Serviço Social e na atuação de seus profissionais. O trabalho trata-se de uma pesquisa bibliográfica, de significativa importância na conjuntura atual, que surgiu a partir das experiências durante a graduação, com um breve estudo sobre o Estado, a regulação das políticas públicas e os rebatimentos do exercício dos assistentes sociais.

Palavras-chave: Estado. Políticas Públicas. Serviço Social. Contemporaneidade.

 AbstractIn an attempt to respond to the needs of labor force control, the state assumes the confrontation of the expressions of the social question, legitimizing the expansion and reproduction of capitalism, thereby intensifying the contradictions and precariousness of the living conditions of the working class. And so, structural unemployment ends up reaching the whole global sphere and intensifies the expressions of the social question. Therefore, understanding social policies, amidst the conjunctural cut in the political and economic scenario of capital in the neoliberal logic, makes us pay attention to their contradictory character before world reality and how this logic reverberates in Social Service and in the performance of its professionals. This work is a bibliographical research, of significant importance in the current conjuncture, whichemerged from the experiences during graduation, with a brief study on the State, the regulation of public policies and the refutation of the exercise of social workers.Keywords: State. Public policy. Social service. Contemporaneity.

Palavras-chave


Estado. Políticas Públicas. Serviço Social. Contemporaneidade.

Texto completo:

PDF

Referências


ANTUNES, R. Adeus ao trabalho? Ensaio sobre as metamorfoses e a centralidade do mundo do trabalho. 6. ed. São Paulo: Cortez, 1998.

BEHRING, Elaine Rossetti; BOSCHETTI, Ivanete. Política Social: fundamentos e história. 2º Ed. São Paulo: Cortez, 2007.

CEOLIN, George Francisco. Crise do capital, precarização do trabalho e impactos no serviço social. Serv. Soc. Soc., São Paulo, n. 118, p. 239-264, abr./jun. 2014.

CASTELO, Rodrigo. O canto da Sereia: social-liberalismo, neodesenvolvimentismo e supremacia burguesa no capitalismo dependente brasileiro. In: MACÁRION Epitácio et. Al. (Orgs) Neodesenvolvimentismo, trabalho e questão social. Fortaleza: expressão Gráfica e Editora, 2016.

GASPAROTTO, G. P.; GROSSI, P. K.; VIEIRA, M. S. O ideário neoliberal: a submissão das políticas sociais aos interesses econômicos. Disponível em: http://repositorio.pucrs.br/dspace/bitstream/10923/8153/2/evento_006%20-%20Patr%C3%ADcia%20Krieger%20Grossi.pdf. Acesso em: 04 de Novembro de 2017.

GUERRA, Yolanda. Direitos Sociais e Sociedade de Classes: o Discurso do Direito a ter direitos. In: Ética e Direitos: ensaios críticos (Orgs) FORTI, V. e GUERRA, Y. 2. Edição revisada. São Paulo: Lumén Juris, 2010, p. 31 "“ 54.

IAMAMOTO, M. Serviço Social em tempo de capital fetiche. São Paulo: Cortez, 2007.

____________. Renovação e Conservadorismo no Serviço Social: ensaios críticos. 4º. Ed. São Paulo: Cortez, 1997, cap. I, p. 31-54.

MONTAÑO, C, E. O projeto neoliberal de resposta à "questão social" e a funcionalidade do "terceiro setor". Disponível em: https://revistas.pucsp.br/index.php/ls/article/viewFile/18912/14067. Acesso em: 03 de Outubro de 2017.

MOTA, Ana Elizabete; AMARAL, Ângela. Serviço social brasileiro: cenários perspectivas no anos 2000. In: MOTA, Ana Elizabete; AMARAL, Ângela. Serviço Social nos anos 2000. Recife: Editora UFPE, 2014, p. 23-45.

NETTO, J. P. Transformações societárias e Serviço Social. Serviço Social & Sociedade, São Paulo, ano XVII, n. 50, 1996.

SOARES, L. T. R. O desastre social. Rio de Janeiro: Record, 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Café com Sociologia é uma publicação semestral, voltada para o debate sobre temas relevantes das Ciências Sociais (Sociologia, Antropologia e Ciência Política) e da docência dessas ciências.

ISSN: 2317-0352

INDEXADORES:

Google Acadêmico

Academia.edu

ANPOCS

DIADORIM

REDIB

Latindex

 

Na avaliação QUALIS para o quadriênio 2013-2016 a Revista Café com Sociologia foi assim avaliada:

LETRAS / LINGUÍSTICA =B2

ENSINO = B3

SERVIÇO SOCIAL =B3

INTERDISCIPLINAR = B4

PSICOLOGIA = B4

SOCIOLOGIA = B5

HISTÓRIA = B5

ANTROPOLOGIA/ARQUEOLOGIA = B5

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO = B5

HISTÓRIA = B5




POLÍTICA DE AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS

Os artigos recebidos passam por quatro etapas:

1ª Etapa:uma primeira avaliação realizada por integrantes do conselho editorial. Nesse momento são observados: i) se não há no texto indicação de autoria, a fim de garantir um processo de avaliação às cegas; ii) se o texto enquadra-se no foco da revista; iii) se o texto apresenta clareza quanto ao problema de pesquisa, o objeto, o método e os resultados alcançados e; iv) se atende as diretrizes de formatação do texto (ver diretrizes para autores). Os textos que não atenderem a um desses aspectos será arquivado e não enviado aos pareceristas, que é etapa seguinte. 

2ª Etapa: os textos são enviados a dois pareceristas que avaliarão às cegas a pertinência, a originalidade, a clareza e a qualidade do trabalho e da redação. Ao fim dessa avaliação emitirão um parecer, podendo ser “aprovado”, “favorável à aprovação com recomendações de ajustes”, “enviar para uma segunda rodada” e “reprovar”. A análise de mérito é realizada por dois pareceristasad hoc. Em caso de discordância entre os dois pareceres, solicita-se uma terceira avaliação. Os textos para serem aprovados precisam de duas posições favoráveis à publicação, ainda que com indicações de ajustes. Os textos que forem recomendados “enviar para uma segunda rodada” serão encaminhados aos autores para ajustes e retornará para os mesmos avaliadores para obter um parecer decisivo.

3ª Etapa:Os textos aprovados serão reenviados aos autores para ajustes necessários e/ou desejáveis e, posteriormente, em prazo estipulado pela comissão editorial, reenviados para serem examinados pelos editores que observará se os ajustes, aos que foram solicitados, foram devidamente realidados. 

4ª Etapa:Os textos finalizados são encaminhados para a diagramação e posterior publicação.

OBS: O processo é organizado de modo a presevar a identidade da autoria e da avaliação.