As pesquisas sobre o ensino de Sociologia: entrevista com Amaury Cesar Moraes

Cristiano das Neves Bodart

Resumo


Amaury Cesar Moraesconstruiu toda a sua trajetória formativa na Universidade de São Paulo (USP), onde cursou graduação em Filosofia (1989) e  Ciências Sociais (1980), mestrado em Ciência Política (1991) e doutorado em Educação (1997). Em 1997 tornou-se docente de metodologia do Ensino de Ciências Sociais nessa mesma instituição, onde atua desde então.

Amaury Cesar Moraes dedica-se, como pesquisador, ao ensino de Sociologia desde 1999, quando publicou seu primeiro artigo sobre esse tema intitulado “Por que sociologia e filosofia no ensino médio?”. Desde então, produziu diversos outros estudos, muitos dos quais tornaram-se referência, destacando-se a coletânea “Sociologia” (2010) financiada pelo Ministério da Educação e distribuída nas escolas públicas de todo o país, e “Licenciatura em Ciências Sociais e ensino de Sociologia: entre o balanço e o relato” (2003). Como destacaram Bodart e Tavares (2018), Moraes é o autor mais referenciado em artigos sobre ensino de Sociologia publicados em revistas de estratos superiores na área de Sociologia. Trata-se de um pesquisador com sólida trajetória de luta pela inclusão e permanência da Sociologia no Ensino Médio que remonta aos anos anteriores a reintrodução gradativa da Sociologia nos estados brasileiros, entre os anos de 1980 e 2000. Nesta entrevista Moraes responde algumas questões que nos ajuda avaliar a situação atual das pesquisas sobre o ensino de Sociologia.


Texto completo:

PDF

Referências


BODART, Cristiano das Neves. TAVARES, Caio dos Santos. A produção sobre o ensino de sociologia escolar nos periódicos brasileiros on-line de estratos superiores, 1996-2017. In: MAÇAIRA, Julia Polessa; FRAGA, Alexandre Barbosa. (Orgs.) Saberes e Práticas do Ensino de Sociologia. Rio de Janeiro; Autografia, 2018. pp. 57-102

MORAES, Amaury César. Por que sociologia e filosofia no ensino médio? Revista Educação Apeoesp, São Paulo/Apeoesp, v.1. maio, n.10, p. 50-53, 1999.

MORAES, Amaury César. (Org.). Sociologia. [Coleção Explorando o Ensino, v. 15]. Brasília: Ministério da Educação, Secretaria de Educação Básica, 2010.

MORAES, Amaury César. Licenciatura em Ciências Sociais e ensino de Sociologia: entre o balanço e o relato. Tempo Social, São Paulo, v. 15, n. 1, p. 5-20, abr. 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Café com Sociologia é uma publicação semestral, voltada para o debate sobre temas relevantes das Ciências Sociais (Sociologia, Antropologia e Ciência Política) e da docência dessas ciências.

ISSN: 2317-0352

INDEXADORES:

Google Acadêmico

Academia.edu

ANPOCS

DIADORIM

REDIB

Latindex

 

Na avaliação QUALIS para o quadriênio 2013-2016 a Revista Café com Sociologia foi assim avaliada:

LETRAS / LINGUÍSTICA =B2

ENSINO = B3

SERVIÇO SOCIAL =B3

INTERDISCIPLINAR = B4

PSICOLOGIA = B4

SOCIOLOGIA = B5

HISTÓRIA = B5

ANTROPOLOGIA/ARQUEOLOGIA = B5

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO = B5

HISTÓRIA = B5




POLÍTICA DE AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS

Os artigos recebidos passam por quatro etapas:

1ª Etapa:uma primeira avaliação realizada por integrantes do conselho editorial. Nesse momento são observados: i) se não há no texto indicação de autoria, a fim de garantir um processo de avaliação às cegas; ii) se o texto enquadra-se no foco da revista; iii) se o texto apresenta clareza quanto ao problema de pesquisa, o objeto, o método e os resultados alcançados e; iv) se atende as diretrizes de formatação do texto (ver diretrizes para autores). Os textos que não atenderem a um desses aspectos será arquivado e não enviado aos pareceristas, que é etapa seguinte. 

2ª Etapa: os textos são enviados a dois pareceristas que avaliarão às cegas a pertinência, a originalidade, a clareza e a qualidade do trabalho e da redação. Ao fim dessa avaliação emitirão um parecer, podendo ser “aprovado”, “favorável à aprovação com recomendações de ajustes”, “enviar para uma segunda rodada” e “reprovar”. A análise de mérito é realizada por dois pareceristasad hoc. Em caso de discordância entre os dois pareceres, solicita-se uma terceira avaliação. Os textos para serem aprovados precisam de duas posições favoráveis à publicação, ainda que com indicações de ajustes. Os textos que forem recomendados “enviar para uma segunda rodada” serão encaminhados aos autores para ajustes e retornará para os mesmos avaliadores para obter um parecer decisivo.

3ª Etapa:Os textos aprovados serão reenviados aos autores para ajustes necessários e/ou desejáveis e, posteriormente, em prazo estipulado pela comissão editorial, reenviados para serem examinados pelos editores que observará se os ajustes, aos que foram solicitados, foram devidamente realidados. 

4ª Etapa:Os textos finalizados são encaminhados para a diagramação e posterior publicação.

OBS: O processo é organizado de modo a presevar a identidade da autoria e da avaliação.