Implicações políticas no universo da dança contemporânea: reflexões sobre processo criativo, proposições estéticas e o fazer artístico na cidade de São Paulo Entrevista com João Minelli Andreazzi

Rafael Balseiro Zin, Renata Tomasi Silva

Resumo


As ciências sociais, nos últimos anos, têm sido marcadas por um trânsito cada vez maior entre os saberes. Neste fluxo contínuo, de apropriações que geram novos domínios, destaca-se a íntima relação entre a arte e a política. Dentre as várias formas de aproximação em meio a tais esferas, no entanto, a linguagem que menos tem recebido atenção por parte dos pesquisadores é a da dança, mais especificamente a da dança contemporânea. Levando em consideração a necessidade de se refletir sobre os novos fenômenos artísticos e seus fazedores neste universo particular, convidamos o coreógrafo e bailarino paulistano João Minelli Andreazzi, fundador da Companhia Corpos Nômades, para nos auxiliar a discorrer sobre essa temática. Com uma carreira dedicada à pesquisa da linguagem e dos sentidos do corpo, Andreazzi iniciou seus trabalhos no campo das artes cênicas como ator, performer e bailarino, na década de 1980. Em 1990, passou a pesquisar o corpo com maior ênfase e a dedicar-se ao ensino da dança contemporânea. Fundindo-a com elementos do teatro, do hip-hop, das artes plásticas e da vídeo-arte, ganhou diversos prêmios. Nesta entrevista, portanto, o que se busca, como o próprio título sugere, é melhor compreender como se dão as implicações políticas no universo da dança contemporânea, a partir de reflexões sobre processo criativo, proposições estéticas e o fazer artístico na cidade de São Paulo.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Revista Café com Sociologia é uma publicação semestral, voltada para o debate sobre temas relevantes das Ciências Sociais (Sociologia, Antropologia e Ciência Política) e da docência dessas ciências.

ISSN: 2317-0352

INDEXADORES:

Google Acadêmico

Academia.edu

ANPOCS

DIADORIM

REDIB

Latindex

 

Na avaliação QUALIS para o quadriênio 2013-2016 a Revista Café com Sociologia foi assim avaliada:

LETRAS / LINGUÍSTICA =B2

ENSINO = B3

SERVIÇO SOCIAL =B3

INTERDISCIPLINAR = B4

PSICOLOGIA = B4

SOCIOLOGIA = B5

HISTÓRIA = B5

ANTROPOLOGIA/ARQUEOLOGIA = B5

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÃO = B5

HISTÓRIA = B5




POLÍTICA DE AVALIAÇÃO DOS ARTIGOS

Os artigos recebidos passam por quatro etapas:

1ª Etapa:uma primeira avaliação realizada por integrantes do conselho editorial. Nesse momento são observados: i) se não há no texto indicação de autoria, a fim de garantir um processo de avaliação às cegas; ii) se o texto enquadra-se no foco da revista; iii) se o texto apresenta clareza quanto ao problema de pesquisa, o objeto, o método e os resultados alcançados e; iv) se atende as diretrizes de formatação do texto (ver diretrizes para autores). Os textos que não atenderem a um desses aspectos será arquivado e não enviado aos pareceristas, que é etapa seguinte. 

2ª Etapa: os textos são enviados a dois pareceristas que avaliarão às cegas a pertinência, a originalidade, a clareza e a qualidade do trabalho e da redação. Ao fim dessa avaliação emitirão um parecer, podendo ser “aprovado”, “favorável à aprovação com recomendações de ajustes”, “enviar para uma segunda rodada” e “reprovar”. A análise de mérito é realizada por dois pareceristasad hoc. Em caso de discordância entre os dois pareceres, solicita-se uma terceira avaliação. Os textos para serem aprovados precisam de duas posições favoráveis à publicação, ainda que com indicações de ajustes. Os textos que forem recomendados “enviar para uma segunda rodada” serão encaminhados aos autores para ajustes e retornará para os mesmos avaliadores para obter um parecer decisivo.

3ª Etapa:Os textos aprovados serão reenviados aos autores para ajustes necessários e/ou desejáveis e, posteriormente, em prazo estipulado pela comissão editorial, reenviados para serem examinados pelos editores que observará se os ajustes, aos que foram solicitados, foram devidamente realidados. 

4ª Etapa:Os textos finalizados são encaminhados para a diagramação e posterior publicação.

OBS: O processo é organizado de modo a presevar a identidade da autoria e da avaliação.